fbpx

Sua escola está preparada para os desafios pós-pandemia?

10/07/2020 Por Marketing Activesoft

Além de pegar todos de surpresa, a pandemia da Covid-19 trouxe significativas mudanças e, ainda, algumas incertezas. Entre essas impressões, uma das mais preocupantes se refere à adoção de estratégias para a educação superar os desafios pós-pandemia. Nessa conjectura, é preciso identificar alguns caminhos que favoreçam um retorno presencial das aulas, sem prejuízos para a comunidade escolar.

Neste artigo, confira quais serão os principais desafios enfrentados pelas entidades após a pandemia. Ainda, conheça os principais desafios a serem enfrentados e quais as alternativas mais viáveis para minimizar os impactos dessa fase. Acompanhe!

Quais são os principais desafios pós-pandemia?

Durante o isolamento social, alunos e professores têm aprendido novas formas de interação à distância e se adequado às mudanças impostas pela necessidade de aliar medidas de prevenção da saúde com a continuidade das atividades escolares. Para tanto, todos tiveram que fazer rearranjos e se adaptar, em pouco tempo, a essa nova realidade.

De repente, a tela do computador substituiu a lousa, as chamadas de vídeos e as lives passaram a integrar a rotina de estudantes de todos os níveis de escolaridade. No entanto, essa fase da pandemia pode ser uma oportunidade de “treinamento” e de adequação a uma realidade já denominada de “novo normal”. 

Nessa conjectura, ainda regrada pela incerteza, a instituição e os pais precisam trabalhar juntos, discutir novas propostas e incorporá-las, gradativamente, a esses ambientes únicos de aprendizagem digital. Assim, uma das preocupações da pós-pandemia é buscar novas estratégias e ações que englobem estudantes de todas as classes socioeconômicas. 

COVID-19: Como manter as atividades com os alunos?

Em nosso país, ainda temos como legado alguns resquícios de traços coloniais que mantêm diferenças sociais e muita desigualdade. Logo, alguns alunos têm dificuldades, devido à falta de estrutura e de equipamentos para acompanhar as aulas pela internet. Além disso, as crianças pequenas exigem mais apoio dos pais que, em contrapartida, têm que sair para trabalhar. 

Logo, é necessário a adoção de novas políticas públicas que viabilizem um suporte adequado para que esses estudantes não tenham o desempenho prejudicado. Minimizar os impactos das desigualdades sociais, promover uma interação mais saudável e compartilhar ideias — e ideais — são medidas que ajudam a atingir o objetivo em comum da comunidade escolar: superar os desafios e recuperar o ano letivo de 2020.

Mas para alcançar essa meta é necessário um trabalho conjunto baseado na superação dos entraves que esse “novo normal” pode representar. Assim, também é preciso desenvolver habilidades, como a paciência e a empatia, promover maior colaboração e, principalmente, exercitar competências essenciais, por exemplo, a criatividade e a proatividade. 

Além disso, atenção a algumas questões, como o autocuidado, também é fundamental ao possível retorno presencial à escola após a pandemia. A gestão escolar deve priorizar a organização e o planejamento para que a retomada das aulas traga benefícios para todos. Não apenas no âmbito pedagógico, mas, principalmente, no que se refere à continuidade do cumprimento dos protocolos de prevenção da saúde.

Como adaptar a escola às mudanças exigidas na pós-pandemia?

A necessidade de manter a instituição escolar funcionando durante a quarentena colocou à prova o sistema e exigiu a superação de desafios enormes para a adequação de um novo modelo de educação. 

Mas as instituições estão diante de uma nova situação, igualmente desafiadora: adaptar-se às mudanças exigidas pela pós-pandemia, porém, preservando a saúde da comunidade e otimizando medidas favoráveis ao bom desempenho dos estudantes.

10-dicas-negociacao-de-mensalidadesPowered by Rock Convert

Nesse contexto, veja algumas sugestões que podem auxiliar a gestão nesse sentido!

Mudanças nas funções dos professores

Nesse novo cenário, que impõe tantos desafios pós-pandemia, a equipe pedagógica precisa treinar os docentes e buscar formas de se reinventar — e isso muito rapidamente. Muitas instituições estão oferecendo suporte por meio de atividades interativas e atrativas. O desenvolvimento dessas habilidades é determinante para conduzir as aulas de modo a torná-las mais leves, dinâmicas e eficientes, critérios essenciais para a qualidade do ensino.

Suporte para a continuidade do ano letivo

Na volta às aulas, diferentes aspectos merecem atenção especial: a exigência da adoção de protocolos de saúde que primam pela higienização correta dos ambientes coletivos e o cumprimento dos princípios de higiene individual. Além disso, a gestão deverá manter firme as orientações para que a comunidade escolar priorize o distanciamento social. 

Dada a complexidade que envolve esse momento, convém lembrar a importância de adequar hábitos individuais em benefício da coletividade. Logo, há muitas diretrizes a serem adotadas pela instituição para voltar às aulas em segurança e reduzir o risco de disseminação da Covid-19.

Ações para proteção da saúde de quem integra o grupo de risco

Colaboradores e professores que compõem o grupo de risco devem se manter isolados enquanto houver chance de contaminação pelo novo coronavírus. A princípio, esse grupo tem que ficar afastado de suas atividades. 

Assim, a ideia central é alternar as aulas presenciais com menor quantidade de alunos e, na medida do possível, mesclar atividades de ensino entre modalidades presenciais e não presenciais. Igualmente relevante é intercalar horários das turmas e organizar os intervalos de aulas de forma a evitar aglomerações no pátio da instituição.

Estímulo a uma maior participação dos pais

Essa nova realidade exige maior participação dos pais de alunos, para mitigar os reflexos negativos dessa situação tão incerta em relação às decisões a serem tomadas na fase pós-pandemia. Assim, o plano de elaboração de reinício das atividades presenciais deve ser melhor avaliado. Ainda, é necessário analisar as circunstâncias e considerar, sobretudo, a importância da prevenção da saúde, o nosso bem maior.

Como um software de gestão escolar pode ajudar?

Ainda que não se tenha uma data definida para o retorno às aulas presenciais, replanejar o cronograma de atividades e focar no que for mais adequado ao aprendizado dos alunos é primordial nesse momento. Para tanto, a liderança da entidade deverá repensar estratégias e, principalmente, explorar as ferramentas tecnológicas para facilitar o retorno gradual das práticas escolares.

Nessa perspectiva, um software de gestão pode flexibilizar o trabalho das equipes pedagógicas, setor financeiro e dos demais colaboradores envolvidos nesse processo de superação dos desafios pós-pandemia. 

Entre as vantagens mais relevantes de investir em uma ferramenta tecnológica específica para a gestão escolar, destacam-se:

  • integração dos processos de comunicação para melhor acolhida de professores e alunos;
  • suporte para organização das mensalidades e de eventuais inadimplências;
  • reorganização do calendário escolar e remanejo das atividades presenciais;
  • envio de mensagens automáticas e programadas para os pais de alunos; 
  • mensuração dos dados relativos ao desempenho dos estudantes;
  • controle e emissão de notas de avaliação dos alunos;
  • segurança das informações;
  • controle do fluxo de caixa.

Por fim, pode-se concluir que os desafios pós-pandemia são passíveis de serem superados. O setor educacional precisa adotar medidas mais adequadas a uma nova realidade que, por ora, ainda é desconhecida para a maioria. Mas por meio de um gerenciamento eficaz é possível organizar as atividades escolares e priorizar atenção às ações que mantêm a qualidade da educação e a saúde estável.

Gostou do artigo? Então, aproveite para conferir também dicas para preparar a sua escola para a nova era digital!