fbpx
melhorar a qualidade de ensino

10 ideias para melhorar a qualidade de ensino

10/07/2020 Por Marketing Activesoft

Garantir uma alta eficiência e melhorar a qualidade de ensino vai proporcionar uma experiência educacional única e completa aos alunos da sua escola. Além disso, vai dar confiança aos estudantes, levando-os a desenvolverem novas habilidades e crescerem como futuros profissionais.

Infelizmente, os números mostram que a qualidade de ensino no Brasil ainda deixa a desejar, sobretudo quando se faz a comparação com outros países. Por exemplo, em ranking de educação, nosso país segue abaixo da média da OCDE.

Por esse motivo, há vários indicadores de desempenho que foram criados com o objetivo de mapear os pontos fracos e fortes de nossa educação. A finalidade é a de padronizá-la nacionalmente, além de melhorar cada vez mais a qualidade de ensino. Um dos indicadores mais utilizados e conhecidos atualmente é o IDEB. Quer saber mais sobre o assunto e conhecer as ideias que servem para melhorar a qualidade de ensino na sua escola? Acompanhe o texto até o final e aproveite esse conhecimento!

O que é o IDEB?

Quando falamos em qualidade na educação em nosso país, a referência que temos é o IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Esse índice foi criado no ano de 2007 a fim de avaliar a qualidade do ensino nas nossas escolas e traçar metas para melhorar esse aprendizado. Vale destacar que o indicador vai de 0 a 10, considerando dois fatores:

  • fluxo escolar (aprovação dos estudantes) – usa dados do censo escolar;
  • média de desempenho nas avaliações (aprendizado) – faz uso dos resultados do Sistema de Avaliação da Educação Básica (o famoso SAEB), referente aos estados, ao Distrito Federal e ao país, além da Prova Brasil, que é referente aos municípios.

As metas desse indicador variam para cada instituição e rede de ensino. A intenção é a de que o índice melhore e conquiste a média 6 até o ano de 2022. Lembre-se de que esse é um resultado correspondente aos países desenvolvidos. A partir do IDEB, as escolas podem determinar as metas para melhorar o seu desempenho.

Qual é a importância desse indicador de desempenho?

Os medidores de desempenho têm o objetivo de detectar de forma precoce os problemas estruturais que nem sempre são vistos “a olho nu’’ ou de forma fácil, precisando, assim, de uma análise completa e mais aprofundada.

Portanto, o IDEB tem como finalidade observar quais são as principais fraquezas e, também, os pontos fortes, tanto do Ensino Fundamental quanto do Ensino Médio, das escolas do Brasil. Com um estudo extremamente abrangente, mas, ao mesmo tempo, bastante específico, consegue-se analisar friamente quais são os pontos que exigem mais investimento e mais atenção por parte do governo e dos profissionais da educação.

Quais são as melhores dicas para melhorar a qualidade de ensino?

Há uma série de ideias que, colocadas em prática, asseguram a qualidade do ensino. Saiba, agora mesmo, quais são as 10 melhores ideias para melhorar a qualidade de ensino na sua escola!

1. Aumentar o investimento na infraestrutura

Muitas vezes, não se consegue ousar e fazer as atividades propostas por causa de problemas estruturais no ambiente escolar, no qual os alunos e os professores estão inseridos. Uma biblioteca abastecida de livros, uma infraestrutura com quadras, uma sala de informática nem equipada com todas as ferramentas necessárias para o ensino e laboratórios eficientes são bons exemplos de ambientes que jamais podem faltar em uma escola.

2. Aproveitar as plataformas de ensino

A tecnologia é uma das principais ferramentas que se utiliza atualmente para melhorar a educação nas instituições de ensino. É possível implantar os avanços tecnológicos de muitas maneiras diferentes, mas uma das mais comuns e difundidas nos dias de hoje é o uso de plataformas de ensino.

As plataformas são praticamente uma extensão do ambiente escolar, podendo ser facilmente levadas para a casa de cada aluno. Nelas, estão organizadas informações relevantes, por exemplo, o boletim, que pode ser visualizado pelos pais e responsáveis, além, é claro, de servir como um meio de comunicação entre as partes.

3. Capacitar com maior intensidade os profissionais da instituição

A capacitação dos profissionais de uma escola também é indispensável para que o desenvolvimento dos alunos seja cada vez mais satisfatório. É fundamental capacitá-los para garantir que exista uma padronização de todos os setores da instituição, evitando, assim, o desencontro de informações e de opiniões e tornando os processos mais eficazes. Vale frisar que professores bem qualificados e capacitados proporcionam um ensino eficiente e de extrema competência aos alunos.

4. Promover o desenvolvimento de soft skills dos alunos

As soft skills formam um conjunto de habilidades ligadas ao comportamento das pessoas. Elas são transversais, o que significa que se relacionam com diversos conteúdos. No entanto, as soft skills são adquiridas por meio de experiências práticas, de maneira multidisciplinar, isto é, aliando o conhecimento de áreas distintas.

10-dicas-negociacao-de-mensalidadesPowered by Rock Convert

Veja, a seguir, algumas das várias soft skills que são mais valorizadas na sociedade contemporânea:

  • ética;
  • inteligência emocional;
  • persuasão;
  • liderança;
  • foco;
  • tomada de decisão;
  • resiliência;
  • proatividade.

É importante mencionar que as práticas que exigem a resolução de conflitos e o trabalho em equipe, assim como as que promovem a autodescoberta, são excelentes para desenvolver as soft skills dos alunos. Mas é claro que existe uma infinidade de possibilidades. Então, trouxemos algumas na lista a seguir:

  • práticas artísticas, por exemplo, pintura e desenho;
  • atividades artísticas coletivas, como teatro e dança;
  • mesas redondas e debates;
  • oficinas de culinária;
  • aprendizado de instrumentos musicais;
  • participação em jogos coletivos.

5. Fazer bom uso da tecnologia

A inclusão da tecnologia na rotina das salas de aula torna-se mais que necessária hoje em dia. Apesar de a maioria das crianças e dos adolescentes já estar familiarizada com o uso de smartphones e computadores, é fundamental alfabetizá-los de modo a usar os avanços tecnológicos com total sabedoria. Portanto, é dever da escola disponibilizar todos os aparatos e o ambiente adequado para desenvolver o relacionamento dos alunos com a tecnologia.

6. Investir em atividades extracurriculares

As escolas que buscam ajudar os seus alunos a se tornarem adultos completos e qualificados têm de considerar trabalhar vários fatores de suas personalidades, preparando-os para o mundo lá fora.

Excelentes exemplos de atividades que trabalham a criatividade, autoestima e a empatia são as aulas de arte (como a dança, a música e o teatro) e os esportes. Além disso, essas práticas também ajudam no sucesso acadêmico, deixando os alunos menos tímidos, menos estressados, e ainda melhoram o raciocínio lógico e a memorização.

7. Buscar a inclusão de novas metodologias

Grande parte das escolas usa uma metodologia padrão que nem sempre é a mais eficiente e produtiva para todos os alunos. O padrão “sala de aula”, na maioria das vezes, não é o suficiente para fazer com que todos os estudantes absorvam o conteúdo.

Por essa razão, o uso de outras metodologias é imprescindível para que todos possam ter acesso igualitário à educação. Deve-se considerar que há aqueles que têm mais facilidade de aprender cantando, ouvindo e observando, e, por isso, a educação lúdica é um passo necessário para o desenvolvimento de todos de forma igualitária.

8. Dar o devido valor para a pesquisa

A pesquisa é uma área de estudo em grande expansão no Brasil. Mesmo com os poucos recursos que são ofertados para esse setor, nota-se que a qualificação dos pesquisadores brasileiros é reconhecida em todo o mundo. Então, por que não investir em pesquisadores desde o ensino básico, tendo a oportunidade de prepará-los ainda mais para o que virá no futuro?

9. Usar material didático contextualizado

É fundamental, também, que o material didático seja formatado de forma que se relacione totalmente com a realidade dos discentes. A ideia é oferecer um conteúdo que seja completo, mas que realmente desperte a atenção do aluno com problematizações da vida real. Desse modo, o conhecimento passa a ter sentido para os estudantes, e os estudos passam a ser mais prazerosos.

10. Estimular o protagonismo dos alunos

Graças à tecnologia, as informações estão totalmente à disposição dos estudantes, e isso faz com que eles já cheguem à escola com conhecimentos prévios sobre determinados assuntos. Devido a isso, ao preparar as suas aulas, os professores têm de considerar essa nova realidade, e não cometer o erro de agir como os únicos detentores do conhecimento.

Como você pôde ver neste texto, a qualidade do ensino aqui em nosso país é constantemente medida a partir de indicadores de desempenho, os quais ajudam a observar a realidade e apontar o que pode ser feito para melhorar a educação.

Saiba que essas ideias que foram citadas aqui contribuem para melhorar a qualidade de ensino. Ao colocá-las em prática, você vai assegurar que a educação progrida na sua instituição e que a qualidade de ensino melhore cada vez mais. Desse modo, procure sempre investir em boas práticas para que o conhecimento seja mais bem aproveitado!

Ao final da sua leitura, qual foi a sua impressão? Você gostou do texto e quer aprender mais conosco? Em caso positivo, assine a nossa newsletter para receber as novidades diretamente na sua caixa de entrada do e-mail!