Inadimplência escolar: 5 dicas para lidar com essa questão

11/05/2020 Por Marketing Activesoft
Powered by Rock Convert

Todo gestor de instituição de ensino enfrenta, cedo ou tarde, a inadimplência escolar. O problema sempre existiu, mas o quadro negativo se intensificou, conforme especialistas na área. Uma pesquisa da Serasa Experian apontou que a inadimplência de alunos aumentou no primeiro semestre de 2019, após dois anos consecutivos de diminuição nos índices.

E são diversas as questões que fazem esse problema tão comum. Entre eles, estão crises econômicas, inflação, perda de emprego ou até mesmo má organização financeira. Independentemente do motivo, o tema é complexo, pois envolve os responsáveis, a instituição e o aluno. Para lidar da melhor forma, é preciso montar um bom planejamento estratégico.

Para ajudar, este artigo apresenta tudo o que você precisa saber sobre inadimplência na educação e 5 dicas para superar o problema!

Entenda as consequências da inadimplência escolar

Geralmente, a falta de pagamento só ganha a atenção devida quando se torna um grande inconveniente. Seus reflexos podem ser percebidos em todos os envolvidos, e compreender exatamente quais as consequências para cada um pode ser a chave para lidar com a inadimplência.

Responsáveis

O impacto desse problema na vida do devedor pode ultrapassar as consequências à instituição e devem ser levadas em conta na hora de lidar com a situação. Quando os responsáveis deixam de pagar uma mensalidade, isso afeta outros custos que envolvem a educação do aluno. Afinal, há multa e juros a cada parcela não quitada. Portanto, a probabilidade de a dívida influenciar uma mudança de instituição pode ser grande.

Instituição de ensino

A instituição de ensino que sofre com inadimplência escolar tem um ciclo de acontecimentos negativos para resolver. A mensalidade, como principal renda do local, precisa arcar com a manutenção da estrutura física, o pagamento de fornecedores, os salários dos colaboradores e outros custos extras. Um volume grande de mensalidades não pagas pode levar à falência.

O mais perigoso no processo de inadimplência é a instituição perder o controle. É importante que o gestor esteja sempre atento e sua equipe preparada para agir de acordo com a situação, a fim de minimizar os danos a todos.

Aluno

Quando o aluno sabe que seus responsáveis têm problemas financeiros, isso pode ser constrangedor. Essa questão tende a afetar em pontos mais profundos que os econômicos, baixando o moral do estudante e seu desempenho escolar. O estudante pode diminuir a frequência por vergonha e, consequentemente, ter uma queda nas notas. A relação com os colegas também tem possibilidade de mudar, por constrangimento.

Aprenda técnicas para lidar com a inadimplência escolar

Quando a inadimplência escolar se torna uma realidade na instituição, é preciso encontrar a melhor maneira de lidar com a situação. Por isso, confira 5 dicas que vão ajudar!

1. Analise caso a caso

Antes de entrar em pânico pensando nos prejuízos que cada mensalidade não paga pode causar, analise o cenário. Quantos alunos possuem débitos hoje? Qual é o valor de cada dívida? Reúna sua equipe e utilize um sistema que levante esses dados. Após, calcule o mínimo que pode ser pago nesse momento para equilibrar suas contas.

Assim, conhecer a realidade da instituição e compreender o impacto financeiro das inadimplências são pontos essenciais a um gestor atento. Somente com base em dados e análises é possível compreender qual a melhor atitude a ser tomada.

2. Considere negociar a dívida

A melhor forma de resolver um impasse é sempre encontrar o famoso meio termo, aquela situação que beneficia a ambos. Logo, o objetivo deve ser o mesmo na relação entre mensalidades e devedores. Mesmo que o ideal seja receber em dia, a negociação pode ser o suficiente para manter o caixa funcionando por mais um tempo.

A forma de negociação a ser proposta a quem tem débitos varia. Conforme o perfil da família e da dívida, o gestor e sua equipe devem considerar a parcela a ser sugerida. Lembre-se de que o valor tem que cobrir gastos mínimos com aquele aluno e ser viável para que o pagamento ocorra conforme combinado.

3. Fique atento à legislação

Quando se fala em inadimplência escolar, é preciso atentar para a legislação. Não é apenas a instituição que determina quais medidas podem ou não ser tomadas em relação aos devedores. Os cuidados principais, nesses casos, são com os alunos, visto que não é legalmente aceito que ele seja penalizado pelo não pagamento das mensalidades.

A Lei n° 9.870/99 e o Código de Defesa do Consumidor deixam claro como proceder:

  • a instituição só pode desligar o aluno do curso ao fim do ciclo escolar (ano ou semestre, conforme a metodologia utilizada);
  • o estudante não pode sofrer punições pedagógicas ou deixar de ter acesso ao ensino;
  • os documentos escolares do aluno têm de estar disponíveis a qualquer momento, mesmo em caso de transferência em que o débito ainda não foi quitado;
  • durante a cobrança, a instituição não pode expor, constranger ou ameaçar o devedor.

É importante que haja muita atenção da parte da equipe de negociação. A instituição só pode acionar judicialmente o responsável pelo não pagamento após 90 dias. Antes disso, o atraso é considerado impontualidade.

4. Comunique-se corretamente

Para não constranger nenhum envolvido e não causar problemas para a instituição, a comunicação de qualidade é fundamental. Ela precisa ser transparente quanto à importância do pagamento para o desenvolvimento do ensino ali fornecido. No entanto, também deve ser sensível ao momento difícil que o responsável pelo aluno está enfrentando.

Assim, tenha um time especializado nesse atendimento e mantenha um padrão a ser aplicado. Evite cobranças em público e nunca as direcione a estudantes menores de idade.

5. Realoque verbas internas

Quando os dados mostrarem uma situação alarmante, acione os setores financeiros e de logística para estudar a realocação de verbas. A medida deve ser aplicada temporariamente, apenas enquanto as negociações estiverem em andamento com os responsáveis.

Nesses casos, é importante sempre atentar ao planejamento que lista a quantidade de débitos. A partir dele, sua equipe poderá dar baixa nos valores que forem sendo quitados e essa verba voltará ao setor de origem sem prejudicar o andamento da instituição.

Saiba como evitar esse problema em sua instituição

Certamente se você já sofreu com esse problema e quer evitar que ele volte a ocorrer, organize-se. Antecipar-se aos problemas é sempre a forma mais eficiente de minimizar danos. Alguns cuidados garantem maior tranquilidade durante o ano letivo:

  • utilize cartões de crédito como forma de pagamento;
  • envie lembretes de vencimento da matrícula;
  • deixe claras as regras da instituição em casos de inadimplência;
  • ofereça benefícios para quem paga em dia.

Além desses fatores, investir em tecnologia é muito eficaz para lidar com problemas de dívidas em mensalidades. O trabalho do gestor precisa ser totalmente lógico e, para isso, o ideal é que os processos práticos sejam automatizados. Instituições que têm softwares de gestão escolar completos estão à frente da concorrência, pois resolvem seus problemas de forma muito mais ágil. Um ERP (Enterprise Resource Planning) de qualidade apresenta todas as informações necessárias, facilitando a tomada de decisão.

Compreender como lidar com a inadimplência escolar não é fácil, mas é um desafio a ser alcançado pelo gestor de ensino. Aplicar as dicas indicadas pode mudar a forma como sua instituição reage a esse problema. E é apenas com a ajuda da tecnologia que ele pode ser enfrentado.

Então, agora que você está preparado para enfrentar a inadimplência, contate-nos e conheça ferramentas incríveis para te auxiliar!