fbpx
bullying cibernético

Como lidar com bullying cibernético na escola: 4 melhores práticas

25/05/2020 Por Marketing Activesoft

Um desafio para as instituições de ensino é como lidar com bullying, porque exige bastante atenção e disciplina para manter o ambiente escolar um local saudável para os alunos. Dependendo da situação, o estudante que é vítima desse ato pode perder o interesse em frequentar o colégio e ter uma queda acentuada de rendimento.

Além disso, pode apresentar problemas de cunho emocional, como a depressão e o estresse. Esse fator prova como é importante uma instituição de ensino mostrar que a boa convivência é fundamental para a formação de cidadãos que respeitem o próximo e as regras.

Neste post, vou destacar 4 ações que uma instituição de ensino pode adotar para evitar a prática do bullying. Confira!

1. Apostar em uma comunicação transparente

É muito importante que as crianças e os adolescentes sejam orientados sobre as consequências de ações desrespeitosas (xingamentos, agressões físicas, ofensas pela internet etc.).

Ao mesmo tempo, é indispensável que haja uma comunicação clara com os pais sobre como identificar se o filho está sendo alvo de brincadeiras de mau gosto. Essa é uma forma inteligente de como lidar com bullying.

Assim, a instituição de ensino deve atuar em parceria com os pais e responsáveis na educação dos filhos. Uma maneira de fazer isso é por meio de um diálogo maduro, em que sejam apontados aspectos positivos e negativos relacionados ao comportamento do estudante.

As reuniões periódicas são necessárias para mostrar como o aluno está adquirindo novos conhecimentos e habilidades. Mas é fundamental que a escola e os pais tenham liberdade para buscarem um contato mais frequente, quando a criança ou adolescente mostrar certas características comportamentais, como irritabilidade, tristeza etc.

O diálogo tem um papel relevante tanto em casa quanto no ambiente escolar. A resolução de conflitos por meio de uma boa conversa é um bom caminho para todos se respeitarem e conviverem melhor com as diferenças.

2. Promover campanhas de conscientização contra o bullying cibernético

Será que os alunos têm noção de como lidar com bullying? Você deve pensar nessa questão com muito carinho, porque os estudantes, por falta de maturidade, podem achar natural ofender o colega por meio de brincadeiras no ambiente escolar e na internet.

É comum que as crianças e adolescentes formem grupos no WhatsApp para tirar dúvidas sobre questões abordadas em sala de aula e marcar atividades em conjunto, como jogar online, ir ao shopping etc.

Em alguns casos, é possível que aconteçam ofensas por meio de comentários, causando tristeza e irritação na vítima. Coibir essa prática é essencial para manter uma boa convivência entre os estudantes.

Uma forma de atingir esse objetivo é por meio da promoção de campanhas educativas. Essas iniciativas devem destacar pontos fundamentais para a formação de cidadãos conscientes de seus direitos e deveres.

Eventos

Uma escola, por exemplo, pode criar eventos semestrais ou anuais de prevenção ao bullying. Palestras envolvendo pais e alunos são uma alternativa interessante para debater esse problema de forma educativa e clara.

10-dicas-negociacao-de-mensalidadesPowered by Rock Convert

O ideal é que, nas primeiras séries do ensino fundamental, esse assunto já seja apresentado para as crianças. Dessa maneira, é mais fácil que elas compreendam como é relevante respeitar os colegas.

Outra medida válida sobre como lidar com bullying envolve o uso responsável de sites e redes sociais. Os estudantes devem ser orientados para entender que a rede mundial de computadores é uma ótima ferramenta para o aprendizado.

Na minha avaliação, é preciso mostrar que a internet não pode, em hipótese alguma, ser um instrumento para humilhar as pessoas, disseminar o preconceito e espalhar o ódio.

3. Capacitar a equipe para enfrentar o problema

As campanhas de conscientização sobre as consequências do bullying e do bullying cibernético e o diálogo aberto com pais e responsáveis são ações valiosas para o ambiente escolar ter um maior nível de harmonia. Por outro lado, isso não é garantia de que não haverá brincadeiras inadequadas entre os alunos.

Para minimizar os casos de bullying e as consequências nocivas dessa prática, é crucial que uma instituição de ensino conte com funcionários devidamente preparados para enfrentar essa situação com tranquilidade e bom senso.

Uma equipe treinada pode identificar, com mais facilidade, o agressor e a vítima de brincadeiras de mau gosto. Observar como o estudante se comporta em sala de aula e na hora do recreio é uma medida relevante para evitar situações desagradáveis.

Outra vantagem de contar com funcionários qualificados envolve a adoção de ações imediatas e corretas para eliminar o problema, como o diálogo com os alunos e a família. Quanto mais cedo a questão for abordada, mais fácil será retomar a boa convivência entre os estudantes envolvidos no futuro.

A recomendação é que os colaboradores sejam capacitados periodicamente sobre como lidar com bullying. Assim, o conhecimento adquirido pode ser repassado para estudantes e pais de forma mais natural, segura e eficiente.

4. Valorizar a diversidade

A capacitação dos funcionários e os eventos de conscientização têm um papel de extrema importância para que as brincadeiras inadequadas não sejam praticadas nem na instituição de ensino, nem no meio virtual.

Uma alternativa bastante válida para minimizar os casos de bullying é reforçar a necessidade de as pessoas conviverem melhor com a diversidade. Por motivos físicos, psicológicos e familiares, os estudantes apresentam diferenças marcantes entre si e que devem ser respeitadas.

O professor deve atuar como um guia para reforçar o entendimento dos alunos sobre o quanto tratar bem o próximo é necessário para uma convivência sadia. Para isso, ele deve ser um exemplo para todos os estudantes sobre como o respeito à diversidade deve ser praticado no dia a dia.

Entretanto, não adianta a instituição de ensino fazer diversas ações para promover um bom relacionamento entre os alunos, caso um docente não mostre empatia com os que apresentam mais dificuldades de aprendizado, por exemplo.

A capacidade de compreender as diferenças deve fazer parte da rotina de todos os que trabalham em um colégio. Essa ação é uma forma de como lidar com bullying com bom senso e responsabilidade. O preconceito e a intolerância jamais podem fazer parte do ambiente escolar.

Se está em busca de ferramentas para aperfeiçoar os trabalhos em sua instituição de ensino, recomendo ler este post sobre como fazer um planejamento escolar de sucesso. O conhecimento é um recurso primordial para a melhoria contínua.